Início » “Seios de Ozempic”: Saiba tudo sobre este efeito colateral causado pelo medicamento
Saúde

“Seios de Ozempic”: Saiba tudo sobre este efeito colateral causado pelo medicamento

A busca por cirurgia de mamoplastia está em alta, com muitos procurando corrigir o que é conhecido como “seios de Ozempic”, um efeito colateral da rápida perda de peso induzida por este medicamento.

Ozempic, juntamente com outros medicamentos recentes para diabetes e perda de peso, conhecidos como agonistas do GLP-1, têm a capacidade de alterar a aparência de um paciente, auxiliando na perda de até 20% do peso corporal. No entanto, essa perda de peso acelerada pode ter consequências.

Segundo informações do Catraca Livre, alguns indivíduos relataram ter um “rosto Ozempic” caracterizado por pele flácida, rugas e linhas mais visíveis. Outros relatam o “bumbum Ozempic”, que se refere a nádegas flácidas. Agora, os cirurgiões plásticos estão vendo um aumento na demanda por cirurgia de elevação dos seios, ou mastopexia, em pacientes que perderam peso com agonistas do GLP-1.

Os seios são geralmente uma das primeiras áreas do corpo a serem afetadas pela perda de peso nas mulheres. Isso pode resultar em flacidez e mamilos voltados para baixo. Ozempic não é o único agonista do GLP-1 que pode causar perda de peso rápida, levando à flacidez da pele – Wegovy, Mounjaro e outros medicamentos podem ter efeitos semelhantes.

A Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica define o lifting de mama, ou mastopexia, como um procedimento que reposiciona a aréola e o tecido mamário, remove o excesso de pele e comprime o tecido para formar o novo contorno da mama. No entanto, a mastopexia não pode alterar significativamente o tamanho das mamas nem arredondar a parte superior da mama.

Embora possa ser atraente ter seios com aparência mais jovem, é importante entender os possíveis riscos e complicações da mastopexia. Estes incluem cicatrizes desfavoráveis, sangramento, infecção, má cicatrização das incisões, alterações na sensibilidade do mamilo ou da mama, riscos da anestesia, irregularidades no contorno e forma da mama, descoloração da pele, alterações na pigmentação, inchaço e hematomas, danos em estruturas mais profundas, alergia a materiais de curativos, assimetria da mama, necrose do tecido adiposo, acúmulo de líquido, rigidez excessiva do peito, possibilidade de perda parcial ou total do mamilo e da aréola, trombose venosa profunda, complicações cardíacas e pulmonares, dor persistente e a possibilidade de um novo procedimento cirúrgico.

source