Início » ATENÇÃO: EUA alertam para infecção mortal que está ressurgindo; Entenda
Saúde

ATENÇÃO: EUA alertam para infecção mortal que está ressurgindo; Entenda

Foto: NIAIS

A escalada da epidemia no Congo é vista como uma ameaça global por especialistas. Com os eventos programados para o mês do orgulho gay em todo o mundo nas próximas semanas, as autoridades dos Estados Unidos estão se preparando para o retorno da Mpox (MPXV), a doença infecciosa anteriormente conhecida como varíola dos macacos, que afetou dezenas de milhares de homens gays e bissexuais em todo o mundo em 2022. Embora uma combinação de mudanças comportamentais e vacinação tenha controlado esse surto, a maioria das pessoas em risco ainda não foi imunizada.

Nesta quinta-feira (16), os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos alertaram para uma versão mais letal da Mpox, atualmente disseminada na República Democrática do Congo (RDC), e instaram as pessoas em risco a serem vacinadas o mais rápido possível. Até o momento, nenhum caso desse subtipo foi identificado fora da África. No entanto, a escalada da epidemia no Congo representa uma ameaça global, similar às infecções na Nigéria que desencadearam o surto de 2022, conforme apontam os especialistas.

Anne Rimoin, epidemiologista da Universidade da Califórnia, em Los Angeles, enfatizou a importância de uma vigilância contínua das doenças em todo o mundo. Rimoin estuda o Mpox no Congo há mais de 20 anos e alertou pela primeira vez sobre seu potencial de disseminação global em 2010.

Existem dois subtipos principais: o Clade I, dominante no Congo, e o Clade II, uma versão que causou o surto global de 2022. Ambos circulam na África há décadas, surgindo esporadicamente em surtos.

As pessoas infectadas podem apresentar febre, dor de cabeça intensa e dor nas costas, seguidas de erupção cutânea. Muitos pacientes também desenvolvem feridas dolorosas no local da infecção. Aqueles com sistemas imunológicos enfraquecidos, incluindo os que vivem com HIV, têm maior probabilidade de adoecer gravemente e morrer.

A versão do vírus que causou o surto de 2022, chamada Clade IIb, resultou em mais de 30.000 casos nos Estados Unidos naquele ano. Embora a epidemia tenha diminuído em 2023, com apenas cerca de 1.700 casos, agora está mostrando sinais de ressurgimento, com o número de casos no país neste ano sendo quase o dobro do registrado no mesmo período do ano passado.

No Congo, até 14 de abril, o vírus do Clade I causou cerca de 20.000 casos e quase 1.000 mortes desde janeiro de 2023. A infecção pelo Clade I tem uma taxa de mortalidade de cerca de 5%, em comparação com menos de 0,2% do Clade IIb. Mais de três quartos das mortes relacionadas à Mpox do primeiro tipo no Congo ocorreram em crianças com menos de 15 anos, devido ao contato direto com animais infectados, como macacos e esquilos, ou à ingestão de carne de caça contaminada. As crianças muitas vezes vivem em famílias superlotadas e têm problemas de saúde.

Nos Estados Unidos, um teste aprovado pela Food and Drug Administration (FDA) detecta todas as versões da Mpox, mas não pode distingui-las. Um resultado positivo nesse teste deve ser seguido por testes mais específicos para identificar o subtipo.

Para a prevenção, duas doses da vacina são mais eficazes do que uma, com uma eficácia de até 90%, de acordo com uma análise recente de 16 estudos. Mesmo quando a vacina não previne a infecção, ela pode reduzir a gravidade e a duração da doença. No entanto, menos de um em cada quatro americanos em risco recebeu duas doses.

Jennifer McQuiston, vice-diretora da Divisão de Patógenos de Alta Consequência do CDC, observou que é necessário continuar a educar a população sobre a importância da vacinação, sugerindo abordagens mais criativas.

Em 2022, a vacina estava disponível apenas nos Estados Unidos através de agências federais e enfrentou problemas de distribuição, limitando sua disponibilidade; agora está disponível comercialmente. A Organização Mundial da Saúde (OMS), que recomenda vacinas para países africanos, ainda não aprovou a vacina e nem iniciou o processo de aprovação. No entanto, o grupo consultivo da OMS sobre imunizações recomendou que, quando disponível

source