Início » AGORA: ataque terrorista do Estado Islâmico desmantelado seria contra jogadores e torcedores do Real Madrid
Esportes

AGORA: ataque terrorista do Estado Islâmico desmantelado seria contra jogadores e torcedores do Real Madrid

Nesta segunda-feira, 17 de junho, foi revelado que um dos principais alvos da célula terrorista do Estado Islâmico, recentemente desarticulada na Espanha, incluía jogadores e fãs do clube de futebol Real Madrid.

A operação conjunta da Guarda Civil da Espanha e do FBI, realizada na semana passada, visou a maior rede de disseminação online da propaganda do Estado Islâmico atualmente ativa. A ação resultou na prisão de nove indivíduos na Espanha e no fechamento de vários canais online usados para recrutar e radicalizar terroristas.

A propaganda terrorista mirava “lobos solitários” que seriam incitados a se tornarem mártires ao realizar ataques contra o time principal e seus torcedores, seja no estádio ou durante celebrações no coração da Espanha.

Em 14 de junho, uma operação internacional com participação de países europeus e dos Estados Unidos desmantelou “uma infraestrutura crítica” na internet e “interrompeu” plataformas de comunicação associadas ao Estado Islâmico, além de prender nove suspeitos na Espanha, conforme divulgado pela Europol.

De acordo com a agência policial europeia, os servidores desativados sustentavam diversos canais de comunicação do Estado Islâmico (EI) e eram empregados para espalhar propaganda “jihadista” e mensagens que incentivavam atos terroristas.

A operação teve início há dois anos com a identificação da tradução para o espanhol de materiais terroristas vinculados ao grupo e culminou com medidas contra os servidores que hospedavam tais conteúdos.

“Os sítios web e os canais de comunicação, tais como estações de rádio, uma agência noticiosa e conteúdos das redes sociais, tinham um alcance global. Comunicavam diretivas e ‘slogans’ do Estado Islâmico em mais de trinta línguas, incluindo espanhol, árabe, inglês, francês, alemão, dinamarquês, turco, russo, indonésio e pastó (Afeganistão). Foram descobertos vários ‘terabytes’ de informação”, afirmou a Europol.

source